Fed e BCE deixam bolsas na corda bamba

Reuniões dos bancos centrais determinam rumo dos acontecimentos nas bolsas europeias. Lisboa não escapa à ligeira pressão vendedora.

As bolsas europeias iniciaram o dia em baixa, Lisboa incluída. O PSI-20 perde ligeiramente mas até já esteve a subir esta quarta-feira. É na corda bamba que os investidores começaram a sessão de hoje, na expectativa em relação às reuniões de política monetária da Reserva Federal norte-americana (Fed) e do Banco Central Europeu (BCE).

O principal índice português abriu a cair 0,15% para 5.390,01 pontos, influenciado sobretudo pelo mau desempenho do setor energético: EDP e Galp cediam 0,14% e 0,1%, respetivamente.

“Perante a expectativa em relação às reuniões de hoje e de amanhã da Fed e do BCE, respetivamente, o volume e a volatilidade deverão sofrer um decréscimo. Mesmo assim, a sessão de hoje oferece alguns pontos de interesse. Um desses pontos é a recuperação que os CTT têm vindo a encetar”, comentam os analistas do BPI no Diário de Bolsa.

Os Correios somam 6% desde o início do mês, depois de em novembro ter afundado 35% com a redução do dividendo, na sequência dos maus resultados apresentados nos três primeiros trimestres do ano. Ainda assim, na sessão de hoje, os papéis da cotada liderada por Francisco Lacerda cedem 0,49% para 3,43 euros.

“Ainda não é nítido se este movimento ascendente tem sido estimulado por investidores de curto prazo, pelo encerramento de posições vendedoras ou por investidores de longo prazo que acreditam que os recentes eventos adversos já foram descontados pela queda da ação”, frisa o BPI.

Outro dos destaques da bolsa vai para a Pharol, isto depois de a brasileira Oi ter apresentado uma nova versão do plano de recuperação judicial. As ações da holding portuguesa avançam 0,96% para 0,315 euros.

No total, dez cotadas apresentam-se com perdas. Incluindo o peso pesado BCP, que recua 0,34% para 0,26 euros.

No plano internacional, a Fed deverá anunciar hoje um novo aumento da taxa de juro de referência nos EUA. Será a terceira subida este ano. Amanhã reúne-se o comité de política monetária do BCE e não se avizinham grandes anúncios depois das decisões tomadas na reunião anterior e que passaram sobretudo pelo prolongamento do plano de estímulos do banco central do euro.

Nas bolsas, as perdas em Frankfurt, Paris e Milão situavam-se entre 0,05% e 0,1%. Madrid escapava à pressão vendedora com uma alta de 0,57%.

“Durante o dia de hoje, os gestores de fundos deverão reposicionar as suas carteiras perante a realização de quatro reuniões de Bancos Centrais: a da Fed (hoje), a do BCE, do Banco Nacional da Suíça e do Banco de Inglaterra (amanhã). Muito provavelmente, será nas ações das empresas mais sensíveis às taxas de juro que as decisões dos investidores institucionais se farão sentir”, referem os analistas do BPI.

(Notícia atualizada às 8h28)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fed e BCE deixam bolsas na corda bamba

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião