EDP já estuda novos ativos em Portugal e Espanha para vender

O processo de venda de barragens no Douro da EDP está a decorrer com uma forte procura dos investidores. O CEO da elétrica garante que o negócio deverá ficar fechado até ao fim do ano.

A EDP EDP 0,98% não tem falta de procura para os ativos que tem no mercado para vender. As barragens do Douro deverão ficar fechadas no próximo mês e a elétrica já está a estudar outras opções em Portugal e Espanha. A partir do Web Summit, o líder da EDP, António Mexia, diz que a grande prova é o crescimento, no qual admite ir além das metas definidas em março.

“A rotação de ativos que hoje faz parte do negócio é a mais fácil. Compradores para os ativos há sempre muitos“, afirmou Mexia, em declarações aos jornalistas. “A grande prova de fogo é desenvolver”.

A EDP colocou no mercado ativos de energia hidroelétrica avaliados em dois mil milhões de euros, tendo já recebido cinco propostas não vinculativas por parte da Iberdrola, da Endesa e da Engie, bem como dos fundos de investimento Ardian e Brookfield.

O processo está a decorrer normalmente. Temos um plano com várias soluções alternativas para vender dois mil milhões de euros na Península Ibérica. Há várias soluções alternativas. Esta é uma delas, que penso que faz sentido para que Portugal possa ter mais operadores, o que penso que é positivo. Se for essa a alternativa escolhida, estará concluído até ao final do ano“, disse o gestor, garantindo que o comprador ainda não está escolhido.

Há alternativas a serem estudadas neste momento. Há outros ativos em Espanha e outros ativos em Portugal. Não há planeta B, mas há planos B”, afirmou. Questionado sobre se o valor das ofertas poderão levá-lo a desistir da venda, respondeu: “Não é esse o risco. Longe disso”.

Segundo o gestor, o ambiente de baixas taxas de juro leva os investidores a procurarem yields e faz com a procura por estes ativos seja robusta. “Há um enorme conjunto de investidores no mundo que procura rentabilidades que para nós são adequadas enquanto vendedores”, justificou.

Dada a facilidade em vender ativos, o foco de Mexia está no crescimento, sendo que anunciou que 70% do pipeline previsto desenvolver até 2022 já está concretizados. “Estamos mais além dos objetivos anuais de novos projetos. É um volante que vamos regulando em função das necessidades do lado do crescimento. A grande prova que é preciso dar ao mercado e que temos conseguido dar é se conseguimos ou não, num mercado muito competitivo, desenvolver ou não novos projetos. E temos conseguido”, acrescentou.

Comentários ({{ total }})

EDP já estuda novos ativos em Portugal e Espanha para vender

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião