Energéticas dão gás à bolsa lusa

O PSI-20 valoriza perto de 1% apoiado no avanço das energéticas. A Galp é a principal referência nos ganhos. Europa também positiva suportada na China.

A bolsa lisboeta estende os ganhos registados no arranque da sessão, com o PSI-20 a somar 0,76%, para os 4.593,61 pontos, apoiado nas subidas dos títulos do setor energético. As ações europeias também ganham no dia em que surgem notícias positivas sobre a inflação da China.

Esta sexta-feira foi conhecido que, em setembro, os níveis dos preços aumentaram 1,90% mais do que os 1,60% previstos. O incremento da inflação pode ser um sinal de alguma
recuperação da atividade económica na China, nomeadamente o consumo, e veio atenuar os receios despertados ontem quando foi divulgada a maior queda em sete meses das exportações chinesas.

"Com as exportações chinesas a cair, ficámos um pouco preocupados relativamente à deflação da China, mas os preços subiram mais do que o previsto, e os investidores ficaram encorajados.”

Hiroshi Kato

Chibagin Asset Management

“Com as exportações chinesas a cair, ficámos um pouco preocupados relativamente à deflação da China, mas os preços subiram mais do que o previsto, e os investidores ficaram encorajados”, afirmou Hiroshi Kato, gestor de ativos da Chibagin Asset Management, em Tóquio. “Não precisamos de ficar excessivamente preocupados com a China”, rematou o mesmo responsável.

É em face deste cenário que o Stoxx Europe 600 soma 0,73%, para os 338,07 pontos, interrompendo um ciclo de três sessões de quedas.

Por cá, o PSI-20 está a ser apoiado nos ganhos dos títulos do setor energético, sobretudo da Galp. As ações da petrolífera avançam 1,12%, para os 12,6 euros, no dia em que a petrolífera anunciou dados preliminares sobre a sua atividade no terceiro trimestre que apontam para um aumento acima de 60% da produção. A puxar pelo índice luso estão também a EDP e a EDP renováveis com progressões de 0,9% e 0,7%, respetivamente, para os 2,91 euros e 6,92 euros.

As retalhistas Jerónimo Martins e Sonae também dão um fôlego suplementar ao índice luso. Avançam 0,66% e 0,89%, para os 16,05 euros e 68 cêntimos, respetivamente. Nota positiva também para os CTT, cujos títulos valorizam 1,02%, para os 5,93 euros, a corrigir das desvalorizações recentes.

Na banca, o BCP destaca-se a somar 0,85%, para os 1,55 cêntimos, enquanto o BPI está quase inalterado nos 1,13 euros (+0,09%).

Em queda estão apenas quatro cotadas do PSI-20. Os maiores deslizes são sofridos pela Semapa e Sonae Capital. Recuam 1,58% e 0,89%, respetivamente, para 11,55 euros e 67 cêntimos.

(Notícia atualizada às 8:37)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Energéticas dão gás à bolsa lusa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião