Tradiio capta 600 mil euros em crowdfunding

  • Ana Luísa Alves
  • 15 Dezembro 2016

A plataforma portuguesa de música conseguiu angariar 600 mil euros numa ronda de financiamento que juntou mais de uma centena de investidores e que reavaliou a empresa em quatro milhões de euros.

cropped-tradiio

A plataforma portuguesa de streaming de música Tradiio tornou-se a quinta empresa portuguesa a conseguir captar o investimento de vários investidores em todo o mundo através da Internet, ao fechar uma operação de financiamento feita por empresas na Seedrs, a maior plataforma de crowdfunding europeia.

Até ao momento, esta é a maior operação de financiamento de sempre feita por empresas portuguesas na Seedrs, segundo revela o comunicado da companhia. A Tradiio alcançou o objetivo pretendido de angariar 600 mil euros por 13% do seu capital, numa ronda de financiamento que juntou mais de uma centena de investidores, e que agora avalia a empresa em quatro milhões de euros.

Para Álvaro Gomez, CEO da Tradiio, “é motivo de satisfação ter conseguido concluir com sucesso aquela que é a maior campanha de financiamento através do modelo de crowdfunding”. O objetivo agora é dar seguimento ao plano de internacionalização da Tradiio nos Estados Unidos, a partir de Los Angeles.

A Tradiio foi fundada em 2014 por Álvaro Gomez, André Moniz e Miguel Leite, e tem como objetivo “descobrir e apoiar a melhor música”, permitindo que os utilizadores subscrevam os artistas de que gostam através de um valor mensal determinado, que se destina a ajudar os projetos musicais a atingirem um objetivo predefinido. Em troca têm acesso a conteúdo musical exclusivo.

Até à data, o projeto conta com mais de 42 mil artistas, de centenas de países, e tem operado em Portugal, Brasil e Inglaterra e prepara-se agora para lançar o modelo nos Estados Unidos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tradiio capta 600 mil euros em crowdfunding

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião