Nova box da Vodafone permite “falar” com a televisão

A Vodafone lançou a VBox 4K, uma nova box de televisão que permite "falar" para o comando. Clientes vão poder dizer à TV para "mudar o canal" ou procurar filmes com termos mais específicos.

Os comandos de voz chegaram à TV da Vodafone. A empresa lançou uma nova box que permite que os clientes “falem” com a televisão para mudar o canal e procurar filmes no catálogo, entre outras coisas. A box usa a tecnologia de reconhecimento de voz da Google, mas a Vodafone promete que não grava os áudios das conversas.

“Pela primeira vez em Portugal vamos poder fazer pesquisas por voz na televisão, mas combinando várias componentes”, disse António Margato, diretor do segmento de consumo da Vodafone Portugal, durante a apresentação da VBox 4K, que com ela traz um novo interface de utilização, agora disponível para alguns dos 630 mil clientes de TV da empresa que optem por aderir à oferta.

A opção é ativada premindo um botão do novo comando da box (que abandona os infravermelhos e passa a funcionar por Bluetooth, o que permite esconder a box atrás da televisão ou dentro de um armário). O comando está equipado com um microfone que permite executar funções simples, como “mudar para o canal X”, ou outras mais complexas, como “ver filmes que tenham os atores Y e Z”.

Numa altura em que se levantam cada vez mais questões relacionadas com a privacidade dos utilizadores com as assistentes pessoais, Pedro Duarte, líder do segmento de TV da operadora, “o microfone está sempre desligado” e só é ativado com “o clique de uma tecla”. “Há um clique elétrico que ativa o microfone”, argumentou. Ainda assim, a empresa confirma que os dados de voz são trabalhados na cloud da Google.

VBox 4K da Vodafone. Tem um novo interface e um comando por Bluetooth com microfone.Flávio Nunes/ECO

TV com novo aspeto, mais focada nos conteúdos. E vai ter Netflix

A Vodafone optou por seguir a tendência do mercado e despromoveu os canais no novo interface de televisão, em detrimento dos conteúdos. A nova TV recorre à inteligência artificial para recomendar aos clientes conteúdos em direto ou on demand que possam ser interessantes.

O novo interface aposta ainda num novo espaço protegido com conteúdos para as crianças. Está ainda a ser ultimado o lançamento da aplicação da Netflix para a nova box, para que os clientes possam aceder ao serviço mais rapidamente, sem ter de usar outros gadgets ou usar a própria smart TV, como acontecia até aqui. A Netflix passará a estar na TV da Vodafone lado a lado com a HBO Portugal, que se mantém um exclusivo da plataforma de TV da Vodafone em Portugal.

Esta nova box, com este novo ambiente de utilização, está disponível desde esta quarta-feira para os clientes com o pacote 3P com HBO Portugal incluído, ou para pacotes TVNetVox+Móvel. Os preços começam nos 36,90 euros, para o pacote básico TVNetVox+HBO.

Renovar cartão de cidadão na TV só daqui a “uns meses”

A Vodafone adiantou-se às restantes operadoras e lançou na semana passada uma aplicação que permite aderir à Chave Móvel Digital e pedir senhas para serviços públicos, como o IEFP e o IMT. Um projeto desenvolvido em parceria com a Agência para a Modernização Administrativa, ao abrigo do programa Simplex+.

A app “Serviços Públicos” disponibiliza serviços do Estado na TV da Vodafone.Vodafone

Prometidas estão outras funcionalidades de interesse público, como a marcação de consultas no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e até a renovação do Cartão de Cidadão diretamente na televisão. Questionado pelo ECO sobre quando é que as funcionalidades vão estar disponíveis, Telmo Coito, responsável de marketing da Vodafone Portugal, não se quis comprometer com uma data. Mas garantiu que a empresa já as começou a desenvolver e que as mesmas estarão disponíveis “nos próximos meses”.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nova box da Vodafone permite “falar” com a televisão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião